SUA PASSAGEMPARA O MUNDO

ENTRE EM CONTATO CONOSCO

QUER RECEBER NOSSAS NEWS?

Menu

Escolha sua Chapada

Diamantina x Veadeiros x Guimarães x Mesas x Jalapão

12/04/2017

Se o Sul e o Sudeste têm suas serras, o Brasil Central tem as Chapadas -- grandes áreas planas pontilhadas por morros com topos achatados.

Enquanto as serras exercem um apelo alpino que pede lareira, fondue e vinho, as Chapadas evocam um contato mais direto com a natureza, turbinado por uma considerável aura mística. Habituês das Chapadas sempre vão mencionar a energia do lugar -- concentrada nas formações geológicas e canalizada, por que não?, pela água das cachoeiras e pela pureza do ar.

Mesmo com alguma similaridade de paisagem e de estações (seca no outono/inverno, chuvosa na primavera/verão), cada Chapada tem seu próprio modo de usar, influenciado pela distância (ou proximidade) da capital, pelos atrativos e pelo público que freqüenta cada lugar.

(Ah, sim: acostume-se com a palavra atrativo. É uma abreviação de "atrativo natural" e virou jargão nos destinos de ecoturismo. Designa as cachoeiras, poços, balneários, grutas e mirantes de cada lugar.)

 

Estou para conhecer alguém que tenha ido e não tenha gostado. E acho que sei explicar por quê. Para começar, a Chapada Diamantina tem um pouco pra todo mundo: do sedentário que só vai caçar cartões-postais para publicar no Facebook ao andarilho mais incansável, passando por naturebas de carteirinha, fãs de cidades históricas e viajantes avulsos a fim de conhecer gente legal. E de quebra, a região pode ser visitada com proveito em qualquer época do ano. A estação chuvosa não é exagerada e -- o mais importante: devido à distância da capital, a Chapada Diamantina não estraga nos feriados e nas férias.

O difícil na Chapada Diamantina é decidir o que fazer e onde ficar. Lençóis, Vale do Capão, Guiné, Vale do Pati, Andaraí, Igatu, Mucugê, Ibicoara, Rio de Contas -- cada ponto do mapa pode ser um destino único de viagem ou uma das bases de um circuito em torno do parque.

 

Como eu disse no tópico anterior, as chuvas não chegam a atrapalhar. Entre novembro e março a média de precipitação é ligeiramente inferior a 150mm (bem distante dos 400mm do auge das chuvas na costa brasileira). As temperaturas na estação úmida ficam entre 20ºC e 30ºC. Entre abril e outubro chove menos de 100 mm (em agosto e setembro, menos de 50 mm!), com temperaturas que podem descer até as redondezas dos 15ºC à noite, mas que sempre passam dos 25ºC de dia (o meio do ano é a melhor época para fazer as trilhas pelo Vale do Pati).

A grande vantagem da Chapada Diamantina com relação às outras é o fato de ser uma ótima escolha mesmo em férias e feriados. Os atrativos mais populares (os poços, a gruta da Pratinha e o rio Mucugezinho) vão lotar com turistas das cidades próximas, mas em compensação o maior afluxo de interessados em ecoturismo vai fazer com que haja quórum para passeios que, fora da temporada, sairiam com menor freqüência.

 

Confira a matéria na íntegra: Viaje na Viagem